• Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2017

Com preço em torno de R$ 180 mil, testamos a Toyota Hilux Limited Edition

17/08/2015 - 16:29 - Mário Salgado - Fotos: Mário Salgado e Daniel Bianchin
Tamanho da fonte:   - +

A região Centro-Oeste tem muitos fãs das picapes, especialmente pela Toyota Hilux. Estranhamente, a marca japonesa nunca havia enviado um modelo para teste de imprensa aqui em nossa região. Mas quando enviou, caprichou. Nada mais nada menos que a versão Limited Edition, que pode ser o último suspiro dessa geração da caminhonete. A Toyota deve, com certeza, mudar radicalmente o visual e o design dela no ano que vem, acompanhando as tendências mundiais. Só que essa versão especial está custando caro. Para ter uma das três mil unidades disponíveis o cliente precisará desembolsar algo em torno de R$ 180 mil em algumas cidades. No lançamento, durante o Salão do Automóvel de SP, em 2014, a marca prometia um valor menor que R$ 160 mil. Mas a demanda cresceu e o preço também. Abaixo, vocês conferem um vídeo exclusivo que fizemos com a picape média.

Clique aqui e confira a ficha técnica da Limited Edition.

A série especial, com base na versão SRV Top Diesel 4x4, passou duas semanas com a nossa equipe. O teste na cidade foi feito por mim, Mário Salgado. Já o teste na estrada foi feito por nosso Diretor Geral, Daniel Bianchin. De acordo com a Toyota, a edição limitada é voltada a clientes que buscam exclusividade, além dos reconhecidos conforto, robustez e desempenho do modelo. E que tem dinheiro para pagar por isso (já falamos sobre o valor acima).  

A picape média chegou ao mercado com um novo pacote de acessórios. Na parte frontal, a versão ganhou mais proteção ao para-choque, com a instalação de uma capa nas cores preto e cinza, aumentando ainda mais sua robustez.  

Na lateral, a Hilux Limited Edition agrega novas rodas aro 17”, em tonalidade preto fosco, e adesivos personalizados que se prolongam pela traseira. Na caçamba, a Hilux traz santantônio Sport cromado com protetores laterais em preto e capota marítima de lona.

A minha opinião sobre a picape na cidade vocês podem conferir no vídeo. Já nosso Diretor Geral Daniel Bianchin, encarregado pelo teste na estrada, afirma que o carro não traz surpresas, por utilizar a mesma e conhecida mecânica 3.0 turbo diesel, com 171 cavalos e torque 36,7 kgf.m e o câmbio de 5 marchas. "É uma mecânica conhecida e confiável. Precisa de uma atualização com relação às rivais da GM e Ford, mas sempre será uma Hilux", afirmou Daniel.

Um pouco de história

Em 1969, a Toyota lançou mundialmente a Hilux em configuração única de cabine simples, tração 4x2 e motor 1.5L a diesel. Após 45 anos, a picape média, sinônimo de durabilidade, oferece 14 versões para os clientes brasileiros.  

Comercializada em mais de 170 países, a Hilux é reconhecida como a picape que revolucionou o segmento, garantindo o conforto de um carro de passeio em um modelo fora de estrada.  

No mercado nacional, a Hilux chegou em 1993, em sua 4ª geração, importada do Japão. A partir de 1997, a picape começou a ser produzida na Argentina, na planta de Zárate. Desde então, a Hilux se destacou no segmento de picapes médias a diesel, liderando as vendas nos últimos nove anos.  

Em 2013, foram vendidas 42.627 unidades no Brasil, alta de 9,6% em relação a 2012 e 24,1% de participação no mercado de picapes médias. No segmento diesel, foram 38.317 veículos emplacados, crescimento de 12,3% sobre o volume de 2012 e 37,4% de market share . 
 
Para transmitir seu diferencial, começando pelo nome, a Hilux combina as palavras, em inglês, “High ” e “ Luxury ”, que significam, respectivamente, “alto” e “luxo”. Desde a sua primeira geração, a picape faz jus aos adjetivos. É conhecida por combinar as características de um veículo para trabalho com conforto e acabamento de um modelo de passeio.  

Gerações  

1ª geração 1969 a 1972 A Toyota criou um novo conceito de picape, desenvolvendo um design inovador com a força de um off-road . Lançada em 1969, a Hilux teve grande aceitação dos consumidores, por reunir desempenho, qualidade, tamanho adequado e preço competitivo.  
2ª geração 1972 a 1978 Em poucos anos, a Toyota promoveu a primeira mudança completa da picape. Totalmente redesenhada, a Hilux ganhou outras versões, melhorias no sistema de freio, diminuição na emissão de poluentes, mais itens de segurança e menor custo e tempo de manutenção. Eleita a picape do ano de 1974 nos EUA.  
3ª geração 1978 a 1983 A Toyota introduziu a primeira versão da Hilux com tração 4x4, cabine dupla e motor a diesel, a preço competitivo. Outra revolução permitia não só para o trabalho, mas também o uso diário, pois oferecia a dirigibilidade e o conforto de um carro de passeio.  
4ª geração 1983 a 1988 Pela primeira vez na história, uma picape atingiu a produção anual de 4 milhões de unidades. Muito por conta das opções oferecidas aos clientes e por atender às necessidades específicas de cada região. Para locais com condições mais severas, a Hilux apresentava uma versão mais robusta. Nos EUA, por exemplo, a 4Runner foi desenvolvida para o crescente público que utilizava picapes no dia a dia.  
5ª geração 1988 a 1997 A Hilux atingiu 140 países ao redor o mundo, com a reputação de um veículo robusto, resistente e confortável, com alto índice de desempenho. Essa geração foi marcada pelo novo motor diesel de 2.8 litros, oferecendo performance ideal para fins comerciais e de lazer.  
6ª geração 1997 a 2004 Para esta geração, conforto interior foi prioridade, resultando em maior espaço interno, principalmente para os passageiros dos bancos traseiros. Além disso, a dirigibilidade foi aprimorada, aumentando a sensação de conforto de um carro de passeio, mas sem perder a robustez de um fora de estrada.  
7ª geração 2004 Para a geração atual da Hilux, a Toyota criou uma via direta para ouvir a voz do consumidor e desenvolver as melhorias necessárias para atender à demanda.

Mais Imagens
Clique na foto para ampliar
Topo
Publicidade
  • © 2002-2017 SHOPCAR - Sua Referência em Veículos - Classificados de Carros. Todos os direitos reservados