• Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

Avaliamos a Fiat Strada Adventure Estendida

21/11/2012 - 11:27 - Mário Salgado - Fotos: Shopcar e divulgação
Tamanho da fonte:   - +

No meio do ano, a Fiat apresentou a linha 2013 da picape compacta Strada. Com leve retoque no visual e ganho significativo no interior, chegou para se manter na liderança isolada do segmento que disputa com a Vw Saveiro e a fraca Peugeot Hoggar. Durante quase um mês foi possível ver todos os atributos do carro e saber porque o público jovem gosta tanto da Strada.

Ficha técnica

Uma picape precisa ter vocação para o trabalho. Mas nos dias de hoje, o apelo visual tem pego novos clientes, que muitas vezes nem sequer usam a caçamba. Assim, a Fiat Strada Adventure vem conquistando cada vez mais apaixonados. Com muitos penduricalhos de plástico pela carroceria e um interior refinado, o modelo 2013 promete continuar dando trabalho e dor de cabeça para o pessoal da Volkswagen.

A Strada Adventure foca o público jovem, que usa a picape como um carro de passeio comum.  Lançada em 1998, a picape Strada ganhou a versão Adventure apenas em 2001.

Espaço

Para o motorista e para quem vai ao lado, o espaço é o mesmo nas duas configurações. O vão de carga da Strada cabine estendida comporta 830 litros. Quando o assunto é o peso suportado, a estendida pode transportar quase 700 quilos na caçamba.

A picapinha comporta bem duas bikes sem precisar retirar as rodas e até uma moto é possível levar, mas com a roda traseira apoiada na tampa da caçamba, que deverá estar sempre fechada.

Suspensão

Como a suspensão traseira da Strada é de feixes de mola e pronta para a carga pesada, andar com ela vazia é um pouco incômodo quando se está no asfalto. Ela pula muito no solo irregular e em curvas fortes pode escapar um pouco.

Agora, na terra é onde vemos o potencial verdadeiro dessa picape quando o assunto é suspensão. Longos trechos de lama, cascalho, pedras, terra e eté terrenos alagados são superados com certa facilidade. A picape que nos foi enviada é a topo de linha para a estendida e vem equipada com o sistema Locker, que custa algo em torno de R$ 1.500 a mais. Ele é um bloqueio de diferencial, que faz com que a roda com menos aderência gire rapidamente porque absorve toda a força (torque) do sistema, enquanto a outra fica parada. O sistema Locker anula o funcionamento do diferencial, o torque se iguala entre os dois semi-eixos. Isso possibilita que a roda com mais aderência gire e o carro saia do atoleiro.

Para ativar o sistema, basta pressionar a tecla no painel. Para isso, é preciso que o veículo esteja parado e o motorista com o pé no freio. O sistema é usado em situação extrema e até a velocidade máxima de 20 km/h. Acima disso, a desativação ocorre de maneira automática. Porém, como as picapes pequenas são cada vez mais usadas como carros de passeio, vai ser difícil um 'aventureiro urbano' precisar desse recurso.

Andando

Desde que ganhou o motor E.torQ 1.8 16V, a picape esbanja potência, em muitas situações dá a impressão de até sobrar fôlego. São 132 cv quando abastecida com etanol e 130 cv com gasolina, atingindo o torque máximo de 18,4 Kgfm (gasolina) e 18,9 Kgfm (etanol) aos 4.500 rpm. Infelizmente, a versão estendida não oferece o câmbio Dualogic como opcional. Esse equipamente só pode ser comprado na versão Dupla.

Toda essa disposição não vem de graça. Mesmo com um propulsor que chegou prometendo consumir menos do que o antigo 1.8 GM, economia não é a palavra certa para defini-lo. Com gasolina, a Adventure roda em média 8,5 km/l, já com etanol, faz míseros 6,5 km/l no trânsito urbano.

Mais Imagens
Clique na foto para ampliar
Topo
Publicidade
  • © 2002-2019 SHOPCAR - Sua Referência em Veículos - Classificados de Carros. Todos os direitos reservados