• Quarta-feira, 17 de Julho de 2019

Grand Siena Essence 1.6 16v cobra caro pelo requinte

03/10/2012 - 11:33 - Texto e fotos: Mário Salgado
Tamanho da fonte:   - +

Um dos carros mais importantes na história da Fiat no Brasil, o Siena sempre incomodou a concorrência. Pensando em manter o bom volume de vendas e “crescer” no mercado concorrido, a marca italiana lançou este ano o Grand Siena. Um carro totalmente novo e com requinte de sedã médio.

Ficha técnica Grand Siena Essensce 1.6 16v

Versões

O Grand Siena possuí duas versões, Attractive e Essence, e três tipos de motores, 1.4 Tetrafuel, 1.4 Evo e 1.6 16V E.torQ, sendo o último com opção de câmbio Dualogic.

Durante sete dias, a Fiat nos cedeu um modelo de testes. O carro oferecido é da versão Essence 1.6 16v, com todos os opcionais, menos o câmbio automatizado Dualogic.

De olho na concorrência

De acordo com Cledorvino Belini, presidente da Fiat no Brasil, a meta da marca é vender 6 milhões de veículos no Brasil até 2014. Isso sem falar no investimento pesado nas terras tupiniquins, “serão R$ 10 bilhões injetados para novos produtos, processos e tecnologias”, disse Belini. “Além da nova fábrica que será construída no estado do Pernambuco”, completou.

Mas a concorrência também está de olho no Brasil e a chegada de carro como JAC J3, Honda City 2013, Nissan Versa, GM’s Cobalt e Sonic Sedan fazem a Fiat se mexer e investir ainda mais na nova classe média, que atinge algo em torno de 100 milhões de brasileiros ávidos por novidades.

Dirigindo

Ao chegar na concessionária para pegar o carro, mesmo já tendo visto o modelo várias vezes pelas ruas de Campo Grande, é inevitável compará-lo ao J3 Turim. A semelhança á tamanha que chega a confundir.

Ao entrar no carro, o “ar” de Novo Palio também chama a atenção. Tudo lembra o recém-lançado hatch da marca. Volante com controle de som e telefone, som embutido, controle do ar-condicionado, entre outros.

Custando algo em torno de R$ 49 mil, aqui em Campo Grande (com os novos ajustes de IPI), o carro custa caro, mas corresponde com um bom acabamento, digno de seu parente maior Línea. Os materiais utilizados pela Fiat no painel e os tecidos dos bancos mostram o quanto a marca percebeu que a versão anterior do Siena era “pobre” por dentro. Agora, todos os modelos ganharam um acabamento mais caprichado, com menos rebarbas e folgas entre as peças.

O bloco 1.6 16v, de 117 cv e 16,8 kgfm de torque (etanol) casou muito bem com o câmbio manual. Na estrada, por exemplo, foi fácil notar que o três volumes não se acanha na hora das ultrapassagens.

O câmbio manual também recebeu alterações. Aquela transmissão “mole” e ruim de engatar da versão passada do Siena deixou de existir e foi substituída por uma caixa mais justa, com trocas bem acertadas.

As diferenças da nova plataforma também podem ser notadas com o bom espaço para a cabeça do motorista. Quem viaja atrás não sofre mais com todo o aperto do antigo Siena, em suma a distância entre os joelhos e o assento dianteiro é honesta.

Durante nosso teste, o carro se mostrou bom para o uso diário e perfeito para a estrada. No uso urbano, seu consumo ficou na casa dos 8,5 km/l, abastecido na gasolina. Com etanol, os números caíram para a casa dos 7 km/l. Na estrada, ele chegou a fazer 12 km/l, com gasolina e ar-condicionado ligado direto.

A direção firme e o ABS deixam o carro sempre à mão e passam muita segurança. Como as rodas são grandes, a suspensão sofre um pouco com nosso asfalto, mas nada que incomode muito.

O excelente espaço no porta-malas, 520 litros, só é atrapalhado pelas alças que invadem o compartimento. Dispositivo ultrapassado, mas que ainda é muito utilizado pelas montadoras para baratearem os projetos.

Para vários bolsos

Como o gosto do brasileiro aumentou muito, assim como o poder aquisitivo, as marcas também oferecem várias opções de preços para seus carros. Mesmo sendo um pouco salgado, o preço do Grand Siena Essence é justo para o que ele oferece. Rodas de 16”, com pneus de perfil esportivo, 4 air bags e ABS são um exemplo.

Os sedãs compactos não são mais aqueles carros acessíveis voltados para quem procurava economia e espaço. Eles estão ficando cada vez mais caros e sofisticados. A versão Attractive vem bem equipada e mesmo sem ar-condicionado de fábrica, pode ser mais vantajosa do que os concorrentes do Grand Siena – além de bem mais bonita.

Quando partimos para o pacote Essence, a conversa muda. Tudo bem que ele é “completasso”, mas, o preço está alto. Se essa diferença de 10% nos valores faz diferença, o negócio é ficar com o Attractive: você passa calor, mas está seguro. Se o dinheiro não é tudo, um Grand Siena Essence manual é hoje a melhor escolha do segmento.

Mais Imagens
Clique na foto para ampliar
Topo
Publicidade
  • © 2002-2019 SHOPCAR - Sua Referência em Veículos - Classificados de Carros. Todos os direitos reservados