• Sábado, 25 de Junho de 2022
Não solicitamos nenhum código de verificação, por WhatsApp, SMS ou telefone.

Vimos do que é capaz a G 650 GS Sertão

02/05/2012 - 17:23 - André Jordão / Agência INFOMOTO
WhatsApp
Tamanho da fonte:   - +

Quando uma marca mundial como a alemã BMW resolve lançar uma motocicleta batizada de Sertão – sub-região do Nordeste brasileiro dominada pelo clima tropical semi-árido – isso é um indício de que o Brasil é a bola da vez. A certeza é ainda maior se o lançamento mundial do modelo ocorrer em solo brasileiro. E a G 650 GS Sertão foi apresentada no Salão Duas Rodas 2011.

Comercializada em todo o mundo com o nome da árida região brasileira, a versão mais off-road da trail G 650 GS, a “Sertão”, é fabricada na planta de Berlim (Alemanha) e também montada pelo regime CKD na fábrica da Dafra em Manaus (AM). Apesar do ufanismo, a escolha do nome Sertão teve influências mercadológicas, mas também foi motivado por uma questão prática.

Os fãs da marca certamente vão se lembrar da antiga monocilíndrica F 650 GS Dakar, que fez parte do line-up da marca bávara durante muitos anos. Pois então, a G 650 GS Sertão é a evolução do modelo. Segundo informações, o nome Dakar já não estava mais disponível no mercado e por isso o lançamento da BMW foi batizado de G 650 GS Sertão.

Esclarecida a nomenclatura, as atenções se voltam para a proposta off-road do novo modelo. Se antes era Dakar e agora é Sertão, a motocicleta oferece alguns itens que justificam o batismo característico do fora de estrada. Parabrisa mais alto; protetor de mão; paralama dianteiro estendido; rodas maiores; e principalmente suspensões com maior curso. Esses são os atributos que fazem da Sertão uma moto melhor preparada para sair da estrada.

Proposta off-road

Até para o mais leigo no assunto motos, o nome Sertão será relacionado com a proposta off-road. E realmente a moto vai bem na terra. Estreita e alta - largura total de 920 mm e a 860 mm do chão – a G 650 GS Sertão transpõe todos os obstáculos encontrados em uma estrada de terra, até mesmo aquelas bem ruins que você nem se atreve a cruzar de carro. Claro que a moto não está pronta para competições de off-road, mas entre Campos do Jordão (SP) e Monte Verde (MG) o novo modelo alemão mostrou força e disposição para saciar os anseios dos mais aventureiros.

Mas o principal fator que a credencia a sair da estrada sem fazer feio é o conjunto de suspensões. O garfo telescópico dianteiro tem 210 mm de curso e trabalha em conjunto com o braço oscilante traseiro de mesmo curso, que conta com amortecedor a gás – na versão standard o curso é de 170 mm na dianteira e 165 mm na traseira. Estas especificações somadas às rodas raiadas de 21 polegadas na frente (na standard na frente a roda tem 19 polegadas e é de liga leve) e 17 atrás credenciam a moto para enfrentar qualquer irregularidade existente no caminho de terra. Vale ressaltar que a versão Sertão é mais bem preparada para o off-road, mas não se compara às motos especiais, então se for abusar tome cuidado. Mesmo equipada com um protetor de alumínio no motor para absorver impactos, um grande salto pode prejudicar o chassi.

Aliás, o chassi é o mesmo que equipa a G 650 GS – quadro tipo diamante. O que não é igual é o paralama dianteiro. Com uma extensão, se comparado a “G” tradicional, o novo paralama da à Sertão um ar mais esportivo, de uma moto realmente ambientada com a terra, e de quebra evita que lama e sujeira sujem o piloto e o farol. Todavia, essa peça apresentou problemas durante nosso teste (leia box). Outro acessório de série da Sertão que ajuda no off-road são os protetores de mão. Pedras e galhos não interromperão sua diversão na terra. Já o parabrisa mais alto ajuda na visualização do caminho, mas não consegue conter a poeira que chega até o painel, dificultando a visualização.

Uso misto

Embora carregue o nome Sertão e seja uma versão mais off-road da G 650 GS, a nova trail da BMW também tem seu lado on-road. No itinerário do teste proposto pela marca alemã, rodamos quase 100 quilômetros no asfalto, tudo para avaliar melhor o lançamento.

A trail da BMW compartilha o motor monocilíndrico de 652 cm³, comando duplo no cabeçote (DOHC), quatro válvulas por cilindro e refrigeração líquida de sua irmã. Portanto, o propulsor oferece potência máxima de 50 cv a 6.500 rpm e desenvolve um torque máximo de 6,1 Kgf.m a 5.000 rpm. Na prática, a nova BMW G 650 GS proporciona força desde as baixas rotações, característica que ajuda tanto na terra, como na tocada urbana. Detalhe: o motor usado no modelo de entrada da BMW é fabricado na China pela Loncin, enquanto outros componentes chegam diretamente da Alemanha.

Ideal para o dia a dia ou em viagens de final de semana, a moto empolga realmente por sua esperta aceleração e não por sua velocidade final. Chega a casa dos 170 km/h, mas começa a vibrar e “perder a frente” já nos 150 km/h por conta do curso dianteiro da suspensão e a roda de maior diâmetro, como já vimos. Na média de consumo, a G 650 GS fez 20 km/litro, o que deve se manter na Sertão. Ou seja, a moto tem autonomia para rodar até 280 quilômetros. Não é muito, mas suficiente para o motociclista curtir bons trechos de estrada.

Seja na cidade, em rodovias sinuosas ou por estradas de terra, a trail da BMW oferece boa dose de versatilidade e segurança. A G 650 GS Sertão traz de série freios com sistema ABS, que pode ser desativado para condução off-road. É importante dizer que na terra a eletrônica ABS deve ser desligada, senão a moto não freará no fora de estrada. Para isso, basta parar a moto e pressionar o botão ABS no punho esquerdo. Quando a luz se acende no painel, significa que o ABS está desligado. Assim que voltar para o asfalto pare a Sertão e ligue o ABS, pois em piso pavimentado ele um grande aliado. A Sertão conta com um disco de 300 mm na dianteira e um disco de 240 mm da roda traseira.

Mercado

Desde o final de 2009, a BMW passou a montar alguns de seus modelos na fábrica da Dafra em Manaus (AM). Hoje, a marca colhe os frutos de um preço mais acessível e comemora o terceiro e o quarto lugar em vendas entre as trails de média cilindrada no primeiro trimestre deste ano com os modelos F 800 GS (518 unidades) e G 650 GS (505 unidades), respectivamente. Ainda de acordo com números da Fenabrave, a R 1200 GS, modelo mais vendido da marca bávara em todo o mundo, emplacou 190 unidades no primeiro trimestre.

A BMW também afirmou que pretende manter um share de 70% de GS nas vendas totais da marca. Isso comprova a importância da nova versão, já que faltava na linha da fabricante uma moto com caráter mais esportivo na terra, como é o caso da Sertão. A BMW espera vender 500 unidades do modelo montado em Manaus, em parceira com Dafra, até o final de 2012. Desse modo, são cerca de 60 unidades ao mês, enquanto a G 650 GS tradicional emplaca uma média de 200 motos por mês. Seu preço sugerido é de R$ 32.800, a opção de cor é única e as vendas começam em maio.
 
Paralama dianteiro demonstra problema em teste

Durante os teste realizados com a BMW G 650 GS Sertão entre as cidades de Campos do Jordão (SP) e Monte Verde (MG) três paralamas dianteiros dos treze modelos que faziam o teste quebraram. Questionada sobre o que ocasionou o problema na peça, a BMW respondeu que “o primeiro lote de produção das motocicletas modelo BMW G 650 GS Sertão apresentou um erro ocasionado por um fornecedor na fabricação do seu paralama. Informamos que as devidas providências já foram tomadas para que todas as motocicletas comercializadas no Brasil sejam entregues a nossa rede de concessionárias BMW Motorrad com este item devidamente corrigido”, explica Rolf Epp, diretor da BMW Motorrad Brasil.
 
Ficha Técnica BMW G 650 GS Sertão
 
Motor Tipo Monocilíndrico a 4 tempos, refrigeração líquida, 4 válvulas por cilindro
 Cilindrada 652 cc
Potência máxima 50 cv a 6.500 rpm
 Torque máximo 6,1 kgf.m a 5.000 rpm
 Taxa de compressão 11,5 : 1
Velocidade máxima 170 km/h
Câmbio 5 marchas
Transmissão Corrente
 Suspensão dianteira Garfo telescópico de 41 mm de diâmetro - 210 mm de curso
 Suspensão traseira Balança traseira de alumínio com amortecedor centralizado – 210 mm de curso
Roda dianteira 1.60 x 21”
Roda traseira 3.00 x 17”
Pneu dianteiro 90/ 90 – 21 54S
Pneu traseiro 130/ 80 - 17 65V
Freio dianteiro Disco simples de 300 mm com pinça flutuante de 2 pistões
Freio traseiro Disco simples de 240 mm com pinça de 1 pistão
 Comprimento (mm) 2.185 mm
Largura (mm) 920 mm
Altura (mm) 1440 mm
Altura do banco (mm) 840 mm
Peso em ordem de marcha 193 kg 177 kg (peso seco)
Tanque de combustível 14 litros (reserva 4 litros)
 Cor Branco
 Preço sugerido R$ 32.800

Mais Imagens
Clique na foto para ampliar
WhatsApp
Topo
Publicidade
  • © 2022 SHOPCAR - Sua Referência em Veículos - Classificados de Carros. Todos os direitos reservados